renda

Aumentar o padrão de vida, qual o melhor momento?

Afinal porque nos dedicamos à ganhar cada vez mais, penso que tudo se resume ao bom uso do dinheiro. Calma! Não estou dizendo que devemos gastar tudo, o dinheiro nos serve para exclusivamente três coisas: Realizações, Liberdade e Segurança. Nem sempre as pessoas estão cientes de quanto dinheiro elas precisam para cumprir seus objetivos.

Dinheiro é feito para gastar!!!

Exemplo: posso realizar meus sonhos de consumo com um fluxo mensal de R$ 50 mil, viajar, comprar uma casa maior e ou um novo carro… Com R$ 1 milhão na conta teria total segurança para eventual diminuição da minha renda e com R$ 10 milhões teria a liberdade de deixar de trabalhar… É claro, estou fazendo um exercício simplista sobre as respostas que buscamos em um planejamento financeiro de verdade.

Sou um profissional liberal e com o tempo aprendi a conviver com as variações de renda. Para todas as vezes que aumentei meus gastos mensais utilizo um truques simples:

  1. Considero a média dos ganhos dos últimos 3 meses. Certa vez assumi um aumento no custo mensal de R$ 1200 na troca de escola da minha filha. Para tanto, ao calcular minha renda média confirmei que havia aumentado em R$ 2000, ou seja, era possível o aumento de padrão de consumo.
  2. Somado ao ponto “1” subtraio 20% do meu ganho como margem de segurança, ou seja, sempre imagino a minha renda 20% menor para tomar uma decisão de consumo. A margem de segurança diminui o nível de ansiedade frente as variações na renda mensal.

Veja o gráfico abaixo:

  • Em azul a renda real, a variação é grande e representa o valor efetivo que entrou em minha conta.
  • A linha laranja é a média de renda, a variação é parcialmente controlada.
  • Por fim, a linha cinza é o que tenho disponível para gastar.

Mês 2 foi excelente, mas a média em laranja não cresceu o suficiente para sustentar o aumento dos gastados. Fui salvo pela prudencia! Um mês depois a renda caiu drasticamente, contudo mantive o mesmo nível de consumo, visto as reservas anteriores. Somente no mês 6 o aumento da renda foi consistente o suficiente para avaliar o aumento de gastos.

A solução para quem gasta tudo o que ganha

Para aqueles que não trabalham com a margem de segurança de renda, sugiro começar aos poucos. Inicie com uma margem de 5% e com o tempo acrescente mais poupança mensal. Em todos os casos de cliente que superaram essa fase o feedback foi o mesmo “Vinicius, acabou a dor de cabeça dos boletos e agora estou até trabalhando melhor”!

Evidente que não podemos muitas vezes mudar esse tipo de comportamento da noite para o dia, contudo em 6 meses é possível alterar o rumo das suas finanças.

Caso você seja como eu, um profissional liberal ou pequeno empreendedor, a responsabilidade sobre nossas finanças é exclusivamente nossa.

Compartilhe o artigo nas suas redes sociais.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Vinicius Machado

Vinicius Machado

Economista pela Federal do Rio Grande do Sul e com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro. Durante a minha carreira sempre me encantei com atendimento direto às pessoas e aprendi a pensar as finanças além dos números, afinal, indivíduos não se resumem em suas metas e rentabilidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *