mensurar custos

Como Mensurar Custos

Na nova realidade, a necessidade de controle de gastos é uma preocupação constante e maior do que era antes. Mas muitas pessoas podem se sentir confusas na hora de mensurar seus custos, o que impede um controle preciso dos gastos. Meu objetivo nesse post é te mostrar quais são os seus para que você possa controlar melhor as suas despesas.

Para que seus custos façam sentido para você é preciso separar as diferentes categorias e entender cada uma delas, mas ao invés de dividir os seus custos entre o que é importante, o que não é o que você não tem certeza sobre, eu proponho uma maneira diferente de mensurar as despesas, dê uma olhada:

Custos Fixos

Todos nós temos custos fixos. De uma grande empresa a um MEI todos temos alguma despesa que sempre está ali e tem seu valor constante. Um desses exemplos são as despesas com aluguel, não só de um espaço físico como uma casa ou uma sala comercial, mas até mesmo de um equipamento que é necessário para o seu negócio.

Custos Variáveis

Esses são os custos que dependem do faturamento do seu negócio. Como assim? Quanto mais trabalho você tem, maiores são seus custos! Sejam esses os custos com novos fornecedores e prestadores de serviço para oferecer a matéria-prima, os impostos decorrentes do faturamento adicional ou até mesmo as contas de luz e água.

Orçamento

Esse na verdade é um custo para o qual você precisa se preparar e juntar dinheiro para ele antes que ele apareça. É um custo muito importante, porque ele é essencial para que os seus negócios cresçam. É daqui de onde você tira o dinheiro para a expansão do seu negócio, para a compra de novos equipamentos, campanhas publicitárias e até capacitação para estar atualizado nas práticas da sua área.

Veja que esses custos tem dinâmicas diferentes, pois mesmo sem faturamento você precisa arcar com suas despesas fixas, mesmo que seus rendimentos sejam zero, os custos fixos estão ali; em seguida temos os custo variáveis, que se apresentam de acordo com a quantidade dos seus negócios e estão sempre oscilando; em último lugar o orçamento, uma despesa com limite definido e para a qual você já se preparou previamente.

Ao combinar essas dinâmicas na avaliação dos seus gastos, você tem uma visão clara do destino do seu dinheiro, sabe com o que gasta, pode adotar estratégias para controlar esses gastos e até se preparar para o futuro.

Se essas ideias fizeram sentido para você, mas você não tem um negócio, por que não tentar aplicá-las a sua vida e a sua economia doméstica? Quais são os gastos fixos da sua casa ou da sua família? Conseguiu um emprego novo? Quanto você gasta para começar ou trabalhar? Novas roupas? Transporte? E quanto você pretende investir nessa profissão? Será que vale a pena investir em um curso?

Compartilhe o artigo nas suas redes sociais.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Vinicius Machado

Vinicius Machado

Economista pela Federal do Rio Grande do Sul e com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro. Durante a minha carreira sempre me encantei com atendimento direto às pessoas e aprendi a pensar as finanças além dos números, afinal, indivíduos não se resumem em suas metas e rentabilidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *